Sobre morte e personagens de jogadores

Um dos dilemas de muitos mestres é a respeito da morte de personagens de jogadores. Por um lado, ninguém gosta de perder o personagem. Botamos muito esforço (na maioria das vezes) para criar algo interessante e legal de jogar, e é horrível quando perdemos ele. Por outro lado, risco de morte é algo essencial em qualquer RPG, porque esse risco ajuda na sensasão de vitória e superação. Então, como mestre, como responder essa pergunta?

Como dizia Gary Gygax, “O mestre só rola os dados por causa do barulho que eles fazem”. Tudo que acontece por trás do escudo do mestre está sob total controle do mestre. Desta forma, é comum para vários mestres alterar o resultado dos dados quando for necessário, e não há momento algum onde esse dilema moral se apresente como na hora em que um personagem está prestes à morrer. Na minha opinião, existem momentos certos e momentos errados. A chave para saber qual é o momento certo é se perguntar se a morte do jogador vai ter algum significado para ele ou para o grupo. Este significado pode ser resumido em duas categorias:

1) O tremendo poder daquilo que os jogadores estão enfrentando.

Imagine o seguinte cenário: O grupo de aventureiros está a caminho da caverna para eliminar um dragão. Durante a viagem, eles são atacados por um pequeno grupo de bandidos que, pelo milagre dos dados, iria matar um dos jogadores. Nesse ponto, devemos parar e fazer a pergunta: Essa morte tem algum significado, ou é totalmente aleatório? Acredito que a resposta seja obvia, e o correto seria alterar os resultados para que o jogador não morra.

Após todas as batalhas, os jogadores chegam ao dragão. A luta começa, e o dragão recebe mais algumas roladas boas, e esta prestes a matar outro jogador. Nesse ponto, fazemos a mesma pergunta porém essa vez chegamos em uma resposta diferente. Essa é a luta final, contra um ser extremamente poderoso. A morte de um jogador, nesse caso, representa o perigo daquilo que eles estão enfrentando, daquilo que eles vieram enfrentar. Acho que qualquer jogador concorda que, se existe uma hora para um personagem morrer, é durante a batalha final. Se vai sair, saia com estilo.

2) A tremenda estupidez do jogador.

Uma regra geral que todo mestre deve seguir é: Um único erro nunca deve levar à morte. Como mestre, você nunca deve buscar matar seus jogadores, porém as ações que seus personagens tomam devem ser seguidas de uma sequencia de eventos lógica. Um jogador tenta pular de um barco para outro vestindo armadura completa, falha no teste e cai na água. Ninguém consegue salvar ele a tempo e ele morre afogado. Uma triste, porém lógica consequencia da falha, e algo que o jogador vai manter em mente para seu próximo personagem. Falha é uma parte do aprendizado.

Desta forma, a ideia geral é: Se o jogador colocar a si mesmo em uma situação que possa resultar em morte, não se sinta obrigado a levantar um dedo para ajudar o jogador além de avisar previamente sobre as consequencias da ação (ou não, dependendo de quão Modo Hard você é). Também sempre é bom deixar claro que o mundo é grande, e nem tudo está em um nível apropriado para os jogadores. Se eles quiserem enfrentar o dragão em um level muito baixo, deixe claro o perigo dessa ação e as possíveis consequencias. Se eles insistirem, deixe que cavem as próprias covas. Tudo isso servirá para que seus jogadores crescam e aprendam.

E para encerrar, aqui estão as imortais palavras de Abed, do seriado Community:

Eu não devo nada à vocês. Eu sou um Mestre. Eu crio um mundo sem limites e amarro ele à regras. Muito pesado para uma ponte? Ela quebra. Foi atingido? Leve dano. Passe uma hora do lado de fora da porta da casa de alguém, brigando sobre qual de vocês vai matar ele? Ele sai pela porta dos fundos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *